CAMINHOS DA PSIQUE

 

TABAGISMO E VOCÊ: QUEBRE ESSA RELAÇÃO!

O tabagismo está presente no grupo dos transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativa. Ele é a maior causa isolada evitável de adoecimento e mortes precoces em todo o mundo, sendo responsável por 63% dos óbitos relacionados às doenças crônicas não transmissíveis. É uma doença epidêmica que causa dependência física, psicológica e comportamental; a dependência ocorre pela presença da nicotina nos produtos à base de tabaco.

Lidar com essa dependência não é fácil, principalmente se você está tentando parar de fumar e possui ligações emocionais ou hábitos que reforcem o uso do cigarro. Para isso, em nosso país existem ações de controle do tabaco e programas de prevenção para a população e tratamento para quem deseja largar o vício. Profissionais de saúde realizam nas Unidades Básicas de Saúde reuniões de grupo, palestras, entrevistas e entrega de medicação, além de oferecer um acompanhamento psicológico, médico e nutricional durante esse processo.

Durante essa caminhada sempre vem a pergunta “como parar de fumar?”. Sabemos que não existe mágica e nem medicamento milagroso que faça o fumante a acabar com a dependência do cigarro do dia para a noite. O que existe é um acompanhamento e apoio através de materiais fornecidos pelo Ministério da Saúde, como entrevistas, aplicação de testes para verificar o nível da dependência, o uso da medicação (se for o caso), e um componente essencial: a própria motivação do fumante. Existem dicas que podem ajudar a você que fuma a cessar o uso do cigarro:

– Marque a data para parar de fumar.
– Faça uma lista escrevendo os malefícios do cigarro e depois uma lista que aponte os benefícios da cessação do uso (ex: malefícios: risco para a saúde, como cânceres, problemas respiratórios, impotência sexual…; benefícios: melhora do condicionamento físico, melhora da pele, dentes, hálito, fortalecimento da autoestima…). Pendure a lista em local visível para que funcione como um reforçador do tratamento.
– Pratique exercícios físicos, exercícios de relaxamento.
– Mantenha a tranquilidade diante das situações de conflito. Nervosismo e ansiedade podem desencadear maior vontade de fumar.
– Use estratégias para controlar a vontade (tomar água, mascar chicletes); jogue fora tudo que possa remeter ao cigarro (isqueiros, cinzeiros, etc).
– Tenha o apoio da família: eleja um familiar ou amigo para ser o seu suporte durante os momentos mais difíceis, como no caso da crise de abstinência.
– Procure ajuda de profissionais de saúde se você for muito ansioso ou possuir algum problema psiquiátrico.
A caminhada pode ser difícil, mas, com perseverança e dedicação, o fumante pode vencer o vício. SAIBA QUE VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO (A).

.