CAMINHOS DA PSIQUE

Síndrome de Burnout

O artigo de hoje vem falar de um problema que afeta muitos trabalhadores: a Síndrome de Burnout. Trata-se de um esgotamento físico e emocional intenso, um estado de tensão emocional e excessivos e prolongados níveis de estresse provocados por condições de trabalho desgastantes, sejam elas físicas, emocionais ou psicológicas. Autores como Maslach e Jackson defendem que a síndrome está ligada à exaustão emocional, despersonalização e redução da realização pessoal. O Burnout é uma situação que afeta pessoas que têm profissões que mantém contato direto e frequente com outros indivíduos. Profissionais que atuam nas áreas de saúde, educação, assistência social, agentes penitenciários, bombeiros, policiais, recursos humanos e que têm dupla jornada de trabalho possuem maiores riscos de desenvolver a síndrome.

Quanto aos sintomas, a pessoa acaba sofrendo com um esgotamento físico e emocional, agressividade, isolamento, irritabilidade, oscilações de humor, ansiedade, depressão, lapsos de memória, baixa autoestima, insônia, pressão alta, dificuldade para concentrar-se, dores pelo corpo, fazendo com que o profissional se ausente frequentemente do trabalho.

O diagnóstico é clínico e devem ser avaliados histórico de vida, realização pessoal no trabalho, sintomas, dentre outros, podendo ser aplicados testes psicométricos. O tratamento geralmente é feito com a ajuda de medicação e psicoterapia. No entanto, algumas medidas podem ajudar o trabalhador a ter uma melhor qualidade de vida, prevenindo o burnout como:

– Prática de exercícios e tempo para o lazer, evitando trabalhar em excesso;

– Saber lidar com o estresse do dia-a-dia e do trabalho, procurando resolver conflitos; terapia ajuda muito nessa questão;

– Saber administrar o seu tempo, evitando desgastes desnecessários por ter que correr para cumprir prazos, devido à falta de planejamento do tempo;

– Ter um propósito, metas, objetivos a alcançar;

– Ter hábitos saudáveis de vida, evitando consumo de álcool e tabaco; eles não irão resolver suas ansiedades e estresse;

– Faça uma avaliação das suas condições de trabalho, se elas estão interferindo em sua saúde física e mental. Procure meios de se livrar de uma rotina de trabalho desgastante, como pausas para descanso, planejamento de atividades diárias, ter bons relacionamentos com colegas de trabalho; mude de setor se necessário.

– Para os chefes: tenha em mente que o colaborador é que mantém a empresa de pé! O funcionário não merece adoecer! Proporcione condições de trabalho mais satisfatórias, invista no colaborador! Ele trabalha com mais prazer, se sente parte da empresa, mantém sua saúde e ajuda a empresa a crescer ainda mais. Ofereça oportunidades de crescimento, de educação permanente; tenha um bom relacionamento com os funcionários. Ofereça momentos de descontração e descanso. Afinal, trabalhador satisfeito, pessoa saudável!